No Twitter, Bolsonaro estimula atenção e mobilização dos eleitores

Publicado por

*Estudo publicado originalmente no site do Instituto Informa

Desde que foi eleito presidente da República, Jair Bolsonaro tem adotado uma estratégia de comunicação semelhante ao que utilizou durante a campanha de 2018. Um uso intenso de mídias sociais para rebater críticas, fazer anúncios da formação do seu governo ou disseminar seus pontos de vistas sobre políticas públicas. Embora a intensidade das interações do público tenha reduzido quando comparado com o período eleitoral, a estratégia de Bolsonaro tem conseguido mobilizar o debate, posicionar a sua imagem como alguém próximo dos eleitores e que se preocupa em falar diretamente com o seu público.

Este estudo exploratório analisa o conteúdo dos twittes publicados por Jair Bolsonaro em um momento muito específico, no qual ele iniciou a transição entre a figura do candidato que buscava votos pelas redes e o presidente eleito, mas ainda sem assumir o cargo. Este momento, que chamamos aqui de Governo de Transição, corresponde ao período que vai de 29/10/2018, dia seguinte a sua vitória no segundo turno, e 19/12/2018, data da extração dos dados deste levantamento.

Foram, portanto, 50 dias que cobrem o período de Governo de Transição, em que Bolsonaro passou a imprimir uma estratégia de comunicação por essa mídia social. Buscamos, com isso, compreender a maneira pela qual Bolsonaro utilizou essa ferramenta, bem como o conteúdo da sua estratégia de comunicação para mobilizar a atenção e buscar firmar uma imagem de novo presidente eleito.

O uso da relevância como estratégia

A importância que Jair Bolsonaro dá à estratégia de comunicação direta com o público pode ser medida em alguns indicadores. Em 50 dias do Governo de Transição, Bolsonaro publicou 144 posts próprios, ou seja, sem consideramos os retwittes e as mensagens nas quais foi mencionado por outros usuários. Desse modo, em todo período, a média de posts de Bolsonaro chegou a quase três por dia (2,8 posts/dia).

Um outro indicador refere-se ao tipo de informação que Bolsonaro escolheu compartilhar primeiramente no Twitter. Dos 22 ministros anunciados para o seu governo, 14 foram apresentados em primeira mão nessa mídia social. Aos veículos tradicionais de imprensa, coube replicar a informação ou aguardar uma entrevista do presidente para falar sobre a nova indicação.

Ao publicar primeiramente no Twitter informação com alta relevância política e manter uma frequência relativamente alta de posts diários, o presidente Bolsonaro procurou chamar a atenção dos usuários para a importância da sua comunicação direta. Essa estratégia, que associa frequência e relevância do conteúdo, estimula a percepção de que vale a pena o eleitor manter a atenção direcionada para a conta do presidente nesta mídia social.

No período pesquisado, três twittes de Bolsonaro tiveram o maior número de engajamentos. O primeiro foi publicado no dia 29/10, no dia seguinte à confirmação da eleição de Bolsonaro. Na mensagem, o então presidente eleito informa aos eleitores ter recebido um telefonema do presidente americano Donaldo Trump. Em números atuais, e não o que está representado na imagem, a mensagem teve mais de 270 mil engajamentos (curtidas, comentários e compartilhamentos)

A segunda mensagem com o maior número de engajamentos foi publicada por Bolsonaro no dia 01/11, quando anunciou o então juiz federal Sérgio Moro como o futuro ministro da Justiça. Em números atuais, foram mais de 251 mil curtidas, comentários e compartilhamentos. O terceiro post com maior envolvimento dos eleitores foi publicado no dia 30/10. Na mensagem, Bolsonaro relata ter gasto R$ 1,5 milhão na sua campanha eleitoral e agradece o apoio dos eleitores. Em números atuais, o twitte teve 205 mil engajamentos.

Tendências na estratégia de Bolsonaro no Twitter

Entre 29/10 e 19/12 a média de twittes de Jair Bolsonaro foi de 2,8 posts por dia. Mas os dados indicam uma mudança forte de padrão após o período eleitoral. Os três dias da série do mês de outubro apresentam média bem superior, com 6 posts por dia. Esse padrão, fruto provavelmente ainda do clima de vitória nas urnas, cai substancialmente para 2,6 posts/dia em novembro, quando Bolsonaro passa a coordenar a transição para o seu Governo. Essa média é mantida no período de dezembro considerado nesse estudo. Esses dados demonstram que, embora mantenha a estratégia de uma comunicação direta via Twitter com eleitores, Bolsonaro mudou a intensidade com que usa a rede, escolha, certamente influenciada pelo período pós-disputa eleitoral.

 

volume

A redução no número de posts por dia impactou, por outro lado, a média de engajamentos na rede de Bolsonaro no Twitter. A média no período logo após o fechamento das urnas é bem superior (640 mil) aos dois períodos seguintes (214 mil e 149 mil) e ela apresenta tendência de queda.

engaja

 

Análise do conteúdo dos Twittes

A extração dos textos de todos os 144 posts publicados por Jair Bolsonaro entre 29/10 e 19/12 sugere algumas pistas de como o presidente tem buscando imprimir a sua imagem a partir de uma comunicação direta com o seu público. No agregado, a palavra mais mencionada por Bolsonaro, conforme a Figura 3, foi “Brasil”, com 36 ocorrências, seguido de “mais”, com 28, “não”, com 19. Em seguida há ainda “bom” e “brasileiro”, ambas com 18 ocorrências.

Utilizamos aqui a análise o processo conhecido como Classificação Hierárquica Descendente (CHD), que consiste em identificar as classes com os conjuntos de palavras consideradas próximas em função do seu grau de associação estatística. Ou seja, quanto mais próximas e repetidas em cada segmento do texto, maiores são as chances de essas palavras formarem classes específicas, diferenciando-se de outros agrupamentos.

Essas classes são formadas após seguidos testes estatísticos que indicam apenas aquelas com maior significância, ou seja, que apresentam associação consistente. Após esses testes, o software usado neste estudo produz um dendrograma que ilustra a relação das classes e suas respectivas palavras. Pelos dados, a primeira conclusão é que a estratégia de Bolsonaro no Twitter pode ser organizada sobre três classes. Cerca de 39% das palavras estão concentradas na Classe 1, em vermelho. Nesse grupo, temos o conjunto de palavras organizadas segundo a frequência de uso: “Brasil”, “dar”, “colocar”, “missão” e “melhor” são algumas delas.

Esse conjunto de palavras na Classe 1, com associação estatística, sugere mensagens nas quais Bolsonaro procurou enaltecer a sua missão de mudar a maneira pela qual o Brasil vinha sendo governador. É um discurso muito próximo daquele adotado durante a campanha presidencial, no qual o então candidato procurou se afirmar como uma pessoa determinada a mudar os “rumos do país” que, na sua visão, era governado por um viés ideológico que o impedia de progredir.

Aproximadamente 31% do conjunto de palavras utilizadas nas mensagens de Bolsonaro no Twitter estão concentradas na Classe 3, em azul. Nesse grupo, podemos notar que se trata de discursos voltados para a nomeação da sua equipe de governo. “Ministro”, “indicação” e “comunicar” são as palavras mais frequentes e com alta associação estatística. A Classe 2, em verde, reúne 29% do conjunto de palavras consideradas na análise. Nesse grupo, como é possível notar, reúne palavras que sugerem tratar das mensagens em que Bolsonaro procurou divulgar as suas atividades nas redes sociais ou publicar agradecimentos a lideranças políticas, eleitores entre outros. As palavras mais frequentemente usadas foram “último”, “novo”, “abraço” e “forte”.

classes

 

Uma outra forma de visualizar os resultados das mensagens de Bolsonaro no Twitter é por meio da Análise Fatorial de Correspondência (AFC). Esse tipo apresenta os clusters de palavras mais associadas, sugerindo um conjunto de textos com alguma similaridade, bem como grupos que se diferem consistentemente. Como é possível observar, a estratégia de Bolsonaro está estruturada em três grandes grupos. O primeiro, em vermelho, no canto superior direito, reúne as palavras da estratégia do presidente de se mostrar como alguém determinado a mudar o Brasil.

clusters

O segundo clusters de palavras está no canto inferior à esquerda em azul. É nesse grupo que estão as mensagens em que Bolsonaro procurou demonstrar a relevância que dará à comunicação direta com os eleitores. Como já observado, 14 dos 22 ministros foram anunciados primeiramente por essa mídia social. Essa estratégia reforça a percepção entre os eleitores de que o novo presidente considera muito importante o contato direto com os seus seguidores nas mídias sociais. O terceiro cluster de palavras, no canto inferior à direita, em verde, como já observado, reúne o conjunto de palavras usadas em mensagens em que Bolsonaro procurou agradecer seus apoiadores ou informou sobre suas agendas durante o período da transição de Governo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s